A relação com a mãe sob a ótica da Constelação Familiar Sistêmica

A relação com a mãe sob a ótica da Constelação Familiar Sistêmica

“Tomar”a mãe para sí significa aceitar a mãe de forma plena, amorosa e sem julgamentos.

Bert  Hellinger dizia que nossa plenitude na vida estaria profundamente ligada a maneira como nos relacionamos com nossa mãe. Aceitá-la plenamente do jeito como ela é (ou de como ela foi) de forma amorosa no seu coração, independentemente de como ela agiu. Isso é muito profundo e para algumas pessoas requer muitas reflexões para elaborar e absorver essa informação.

Quando falamos deste assunto para alguns se torna um incômodo, pois ainda permanecem as mágoas e lembranças negativas em relação à mãe. Conheço pessoas,  amigos ou até mesmo pacientes, que ao ouvir essas palavras sentem muita angústia, às vezes fica até visível o semblante de amargura, denotando uma espécie de raiva ou sofrimento, e dizem que aceitar a mãe, ou amá-la sem julgamentos é uma tarefa impossível.

Na verdade não é que não conseguem, é que devido aos conflitos com a mãe, o coração se fechou (e isso é  compreensível também, afinal somos humanos) e afirmam que não estão preparados para essa aceitação. Percebe-se nesse momento um leque de  mágoas, ressentimentos, onde ficaram cicatrizes profundas na alma desse filho (a) que necessita de apoio para despertar sua consciência, abandonar essa carga pesada de mágoas, lembranças desnecessárias, resignificar o passado e dizer sim para a vida,  SIM para a mãe. Mesmo que essa mãe hoje, seja somente uma lembrança.

Tamanha é a importância da relação maternal que recebemos a oportunidade da vida e fomos gerados através do ventre de nossa mãe. Recebemos através dela todos os nutrientes necessários na vida intra-uterina para nos desenvolvermos e nascermos saudáveis. Muitos de nós fomos amamentados e recebemos o leite materno como alimento e benção para nosso crescimento.

Recebemos muito. Sem falar que durante a gestação e até o parto, estávamos literalmente ligados em nossa mãe através do cordão umbilical, este tubo que conecta o bebê à placenta, sendo responsável pela troca de nutrientes, oxigênio e excretas.

E mais além disso: as emoções que nos envolvem durante a gestação,enquanto habitamos o útero de nossa mãe  são intensas… nos envolvem profundamente,  tanto as emoções como angústia, medo, incerteza, assim como as boas emoções que traziam tantos sonhos, expectativas e  ideais, vieram do mais profundo da  alma de nossa mãe.

Esse baú de emoções e sentimentos tão profundos traz também a carga emocional do núcleo familiar da mãe (do pai também, mas da mãe de maneira potencial) e obviamente estarão de alguma maneira conectados ao feto. Então é certo que vamos encontrar um campo morfogenético (que expliquei  na pergunta 3 do post  Constelação Familiar e as perguntas mais frequentes)  que traz consigo todo o conjunto de experiências positivas e negativas dos integrantes do núcleo familiar que vieram muito antes de nós, e que também nos afetam direta ou indiretamente.

Não é recomendável que tenhamos restrições, críticas ou julgamentos em relação a figura da mãe (da mesma maneira em relação ao pai, podendo trazer  implicações negativas em nossa vida).

Quando repelimos a figura materna podemos estar  nos julgando superiores a ela e isso vai contra as Ordens do Amor (ver post As 3 ordens do amor de Bert Hellinger). Desta maneira, ferimos  assim a Hierarquia, agimos  contra a lei do Pertencimento (ao repelir a mãe não realizamos a troca amorosa ) e afetamos o Equilíbrio do sistema familiar.

Quando não aceitamos, repelimos ou negamos nossa mãe ferimos  as três Ordens do Amor, e consequentemente  vamos na direção contrária do equilíbrio e dos relacionamentos saudáveis em nossa vida. Daí vem os conflitos, os emaranhados que literalmente “travam”nosso caminho, o que nos impede de desfrutar da plenitude da vida.

Amplie sua consciência, esqueça o passado e as experiências negativas que por ventura vc tem na memória.  Acontecimentos tristes passados no seio familiar que te trouxeram lembranças negativas e mágoas devem ser deixados para trás. Conscientemente devem ser elaborados para que vc possa tomar o controle de sua vida e seguir em frente com mais leveza, prosperidade, paz e alegria no coração.

A vida é muito curta… e temos a obrigação de nos fazer felizes!

Fé, amor e gratidão! Sempre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *